Categorias
Cidadania Educação

Desgoverno se exibe a todo o mundo. Planta o caos, prega a guerra, espalha a morte

Desgoverno se exibe a todo o mundo. Planta o caos, prega a guerra, espalha a morte
Se alguém duvidava dos malfeitos
Este encontro fatídico o desfaz
Pois se afasta da pauta, mais e mais
Ataques em série então são feitos
Em afronta visível ao direito
Sem que o chefe contenha ou mesmo aborte
A gravíssima ofensa feita a Corte
Termos chulos desferem-se, em tom rotundo
Desgoverno se exibe a todo o mundo
Planta o caos, prega a guerra, espalha a morte

 

O pretenso encontro de gestão
Transformou-se em rinha troglodita
Seu projeto ao Brasil desacredita
Um retrato fiel assim nos dão
Interesses dos seus, busca o chefão
O país vê se entregue a própria sorte
Presidência  só cuida dos mais fortes
Ambiente e saúde, moribundos
Desgoverno se exibe a todo mundo
Planta o caos, prega a guerra, espalha a morte. 

 

Outro ponto de pauta insolente
Desse encontro sinistro divulgado
Foi o tom militar do Magistrado
Defendendo armar a nossa gente
E em tom arrogante, prepotente
Descortés, agressivo sem trato fino
Pra cristãos,verdadeiro desatino
E se engana, aquele que consente
Atraiçoa a Jesus, abertamente
Quem nas armas confia seu destino

 

Tanta fome, saúde, educação
Temas-chave que foram relegados
O rentismo aí tem seu delegado
E o filé do orçamento sempre terão
Tudo aposta na privatização
Os ministros lhe servem de suporte
A não ser que seu plano o povo entorte
Libertando o país do lodo imundo
Desgoverno se exibe a todo mundo
Planta o caos, prega a guerra, espalha a morte

 

Da República distante, a reunião
Bem mais próxima se achou de um covil
Interesses escusos eram mil
Exceção se havia, não vi não
Presidente impunha opinião
Com palavras rasteiras e sem corte
Ante servos silentes, nada fortes
Presidente falando furibundo
Desgoverno se exibe a todo mundo
Planta o caos, prega a guerra, espalha a morte

 

Duas horas de vídeo e gente rude
Conduzindo o país pra cova rasa
Devastando a Natura, nossa casa
Mesmo assim, ‘inda um terço se ilude
Pouco importa se vão pro ataúde
Que os dois terços procurem e achem o Norte
Que o povo da paz também exorte
Pois planeta só um, não há segundo
Desgoverno se exibe a todo o mundo
Planta o caos, prega a guerra, espalha a morte

 

 João Pessoa, 25 de maio de 2020

Deixe uma resposta