Categorias
Brasil

Deputadas europeias criticam construção da hidrelétrica de Belo Monte

Os ecos da controversa construção da hidrelétrica de Belo Monte fizeram com que três deputadas do Partido Verde de países europeus viessem ao Brasil conhecer de perto a usina e trocar impressões com autoridades do Executivo, do Ministério Público Federal, do Judiciário e movimentos sociais, principalmente de Altamira, em agosto do 2013.

Os ecos da controversa construção da hidrelétrica de Belo Monte fizeram com que três deputadas do Partido Verde de países europeus viessem ao Brasil conhecer de perto a usina e trocar impressões com autoridades do Executivo, do Ministério Público Federal, do Judiciário e movimentos sociais, principalmente de Altamira, em agosto do 2013.

A comitiva das deputadas da Eurocâmara, Ulrike Lunacek (austríaca), Catherine Greze e Eva Joly (francesas) têm como objetivo reunir dados e informações sobre a construção da barragem de Belo Monte e trocar opiniões com autoridades locais, comunidades que serão afetadas pela hidrelétrica e pesquisadores, para levar os resultados das discussões ao Parlamento Europeu.

O grupo dos Verdes/ALE (Greens-Efa) existe desde 1989 e é considerado o quarto maior grupo dentro do Parlamento Europeu, com 58 membros de 15 países da União Europeia. Seus principais objetivos são a construção de uma sociedade que respeite os direitos humanos fundamentais e a justiça ambiental; o aprofundamento da democracia, a descentralização e a participação direta da sociedade na decisão de assuntos de seus interesses, dentre outras metas que podem ser encontradas na página do grupo.

“Como ambientalistas estamos preocupadas com a situação dos índios e moradores de Altamira”, afirmou Ulrike Lunacek.

Desde o início do projeto de Belo Monte, a Bancada dos Verdes no Parlamento Europeu acompanha a controvérsia sobre a barragem. “O tamanho, o custo e os efeitos projetados convidam a refletir sobre o modelo energético que queremos para preservar a terra para o futuro”, diz Ulrike Lunacek.

Segundo Eva Joly, da bancada verde da França, apesar da obra ser construída em Vitória do Xingu, sudoeste do Pará, a Europa está interessada em conhecer mais sobre o assunto. “A Amazônia está no território brasileiro, mas a sua função não é só para o Brasil.”

A parlamentar ressalta, porém, que o país tem autonomia para decidir sobre suas soluções energéticas. “Não viemos dizer o que o Brasil tem que fazer”, completou.

Eva Joly também destacou que a comissão, composta também por Ulrike Lunacek, da Áustria, e Catherine Greze, da França, está voltada para entender as intervenções ambientais e impactos na vida das comunidades que estão sendo afetadas pela obra.

“Nós estamos olhando para as pessoas que lutam por direitos humanos e queremos conscientizar a opinião pública na Europa. A usina não é uma tecnologia deste século. Haverá a remoção de milhares de metros cúbicos da floresta e isso é um tremendo impacto. Há possibilidades poderosas de uso da energia solar e da energia eólica. Achamos esse projeto danoso e o mundo está olhando para o Brasil”, disse Eva Joly.

Outra dúvida das parlamentares em relação à usina é sobre a destinação da energia que será gerada. Elas afirmaram que há contratos com mineradoras instaladas no estado para a produção de alumínio a baixo custo, que será revendido a preço caro ao mercado internacional. “Há fome no mundo inteiro por isso”, completou Joly.

Saiba mais clicando aqui.

3 respostas em “Deputadas europeias criticam construção da hidrelétrica de Belo Monte”

Belo Monte e o desenvolvimento para engegia e SOMENTE para debater entre Brasileiros – sem injerencia de AUSTRIACOS – como Ulrike Lunacek , os “Verde” no parlamento Europeo), Arnold Schwarzenegger ( ator lixo de Hollywood), e Bispo Erwin Krautler de Koblach – perto de Braunau – o povo natal de Adolf Hitler: Eles sao os “Austriacos” mais visiveis na “Luta contra Belo Monte”. Os adverarias “Verdes” na Parlamento Europeo – nao representam os 500 milhoes de Europeos – que tem outras problems como desemprego. Os “Verdes” somente estao ativos na Alemanha com 8% dos votos (antes 22% mais os consumidores ficaram com raiva com impostos altos para subsididar a “energia alternativa” – o custo eletricidade tem subido mais do que 150% na Alemanha – e nem funciona – foi preciso usinas novas de carvao e mineiria de carvao! E nenhum quer um “turbina” perto do povo devido ao barulho e o afeamento do paisagem que e ruim para o turismo! Alem os Verdes na Alemanha e o dirigente dos Verdes no Parlamento Europe – tem um problem de PEDOFILIA: Queriam legalidade para a pedofilia! Veja: DANIEL COHN BENDIT PEDOPHILIA. Na Franca de Eva Joli e Catherine Greze os Verdes tem 5% dos votos, e os Verdes da Ulrike Lunacek na Austria tem 12%. Mas alerta: Os “Verdes” alemaos (Fundacao Heinrich Boell, Rio) a a “Esquerda Falsa” alema – operacao bandeira falsa (Fundacao Rosa Luxemburg) tem planos para apoiar a “Resistencia” (anarquistas, black blocs, ultra-esquerda-maoista, a “aruaceiros”) para desestabilicar e humilhar o governo do Brasil em 2014 (junto com ONGs dos EUA e Bretanha que tem planos de expansao da OTAN ao Atlantico Sul…)

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile