Categorias
Opinião

Sentires

Há dias, por vezes mais de um, em que a tristeza nos acompanha. Numa sociedade em que há de se estar sempre sorrindo, correndo, ativo, fazendo, isto é deveras embaraçoso. Mas não há nada que se possa fazer. Quando a tristeza vem, ela traz recados. Sentires de seres amados que já se foram. Lugares que moram no nosso sentimento. Quando a tristeza vem, abro as portas. Deixo ela entrar pois que é de casa. Sem ela, não há alegria, pois ambas andam de mãos dadas. Assim como temos dois olhos, um que olha para dentro e de repente vê cadeiras e quartos vazios, também temos o outro que olha para fora e vê o sol brilhando e as estrelas acompanhando a lua no escuro da noite.

Por Rolando Lazarte

Escritor e sociólogo. Terapeuta Comunitário. Professor aposentado da UFPB. Membro do MISC-PB Movimento Integrado de Saúde Comunitária da Paraíba. Vários dos meus livros estão disponíveis on line gratuitamente: https://consciencia.net/mis-libros-on-line-meus-livros/

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile