Categorias
Brasil Cidadania Memória & Consciência

Centrais sindicais e movimentos populares agendam atos pela democracia e por eleições livres

As centrais sindicais e os movimentos populares agendaram uma nova rodada de mobilizações de rua. Desta vez, a pauta é a defesa da democracia e a realização de eleições livres. A iniciativa é uma reação às declarações do presidente Jair Bolsonaro(PL) contra as urnas eletrônicas, ao Supremo Tribunal Federal e ao sistema eleitoral brasileiro. Entram na pauta também as denúncias contra a inflação e a insegurança alimentar. 

O calendário de mobilizações começa nesta terça-feira(02), em Brasília, com a reunião da Coalizão em Defesa do Sistema Eleitoral. A reunião, que contará com a presença de diversas entidades, será com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco(PSD-MG), para demonstrar a importância de defender o sistema eleitoral brasileiro

Na sequência, no dia 11 de Agosto, haverá a retomada das ações da Campanha Fora Bolsonaro, com o lema “em defesa da democracia e por eleições livres”. O movimento ganhou força em 2021, ao pedir o impeachment do presidente e denunciar a negligência do governo durante a pandemia.

No mesmo dia, também há um chamado para outro ato, em que será realizada a leitura da “Carta aos Brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito”. O documento foi redigido por ex-alunos da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo(FADUSP), divulgado na semana passada e já conta com mais de 600 mil assinaturas.

Para falar destas mobilizações, o programa Central do Brasil recebe, nesta segunda-feira(01), na Entrevista Central, Milton Rezende. Ele é Secretário de Relações com os Movimentos Sociais da Central Única dos Trabalhadores(CUT) e fala sobre os preparativos desta agenda de manifestações.

Sobre o ato desta terça-feira(02), em Brasília, ele destaca que diversos movimentos estão envolvidos nesta agenda. “Foi uma articulação feita com o presidente do Senado sobre a necessidade de reforçar a democracia e o sistema eleitoral brasileiro”, explicou.

“Esses atos são abertos para quem tiver na linha da democracia, contra a violência, contra a miséria e em defesa do processo eleitoral nesse país”, pontuou Milton, convocando a população.

Trilhos do Brasil

Na reportagem, o programa destaca  que trabalhadores negros e pardos são as maiores vítimas de acidente de trabalho, de acordo com estudo produzido pela Universidade Estadual de Feira de Santana, na Bahia.

No Embarque Imediato, Alessandra Mello, presidenta do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais, denuncia a precarização e o atraso de salário para os trabalhadores de veículos tradicionais no estado.

Parada Cultural indica o trabalho da Companhia de Teatro de bonecas “As caixeiras”, fundada em 2007, em Brasília.

Central do Brasil é exibido de segunda a sexta-feira, sempre às 19h45, pela Rede TVT, pelos canais do Brasil de Fato nas redes sociais e pelas rádios comunitárias ou educativas espalhadas pelo país.

Sintonize

Para acompanhar o Central do Brasil, basta sintonizar a TVT em uma antena digital, interna ou externa. Na grande São Paulo, o canal é o 44.1 (sinal digital HD aberto); na NET o canal é o 512 (NET HD-ABC); no UHF, a sintonia é 46; 13 na NET-Mogi; e Canal 12 na Vivo São Caetano do Sul.
A sintonia da Rádio Brasil Atual é 98,9 FM na Grande São Paulo. Também é possível acompanhar a programação radiofônica pelo site do Brasil de Fato.
Quem está fora de São Paulo, pode sintonizar a TVT com a parabólica, via satélite. É necessário direcionar a antena para StarOne C3 Freq: 3973 Mhz Pol: Vertical, DVB-s2; SR: 5000 FEC ¾. Confira mais informações neste link.

Dados da menor estação receptora
Antena: Embrasat modelo RTM 2200Std
Focal-Point
Diâmetro 2,2m
Ganho de recepção no centro do Feixe (Dbi) 37,5
G/T da estação (dB/K) 18,4

Edição: Afonso Bezerra

Fonte: Brasil de Fato

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile