Após o dilúvio

Estes dias passados, tenho partilhado algumas impressões e reflexões derivadas de um assalto de que fomos objeto eu e a minha esposa na nossa casa. Sei que estas coisas afetam a todo mundo, não apenas a nós.

Cada coisa, cada experiência da vida, toca de formas diversas a cada pessoa, segundo o que ela é, como ela pensa, como tem vivido, as experiências do seu passado que rebatem nas do presente, uma infinidade de variáveis.

Quero agradecer a todas as pessoas que nos fizeram chegar as suas mensagens de fé e de esperança, de confiança e de solidariedade, nos ajudando a processar em mutirão este acontecimento.

Após a raiva inicial, ditada pela impotência, pela extrema fragilidade de me ver com ela no chão, amarrados, na mira de um revólver e ameaçados por um encapuzado de faca na mão, outras ponderações, outras perspectivas começam a vir, advindas do diálogo com os meus familiares, com a minha companheira, com colegas, amigos e amigas.

A todos e todas, agradeço.

Deixe uma resposta