Categorias
Cultura

2ª Mostra Luta!

Em sua segunda versão, entre os dias 21 e 28 de novembro, no MIS-Campinas, mostra exibe vídeos sobre as lutas sociais e a realidade dos trabalhadores. Além das exibições, haverá uma exposição fotográfica e mesas de debate sobre comunicação…

cartaz
 
 
A 2ª Mostra Luta! retorna este ano para reafirmar um dos direitos mais básicos do ser humano: o direito à comunicação. De 21 a 28 de novembro, no MIS-Campinas, muitos sem-voz falarão, através de vídeos, sobre sua realidade, sonhos e lutas: a luta dos sem-terra, dos sem-teto, das mulheres, do movimento negro, pelo acesso à arte e cultura, pela diversidade cultural, a luta antimanicomial, contra as opressões e as desigualdades sociais, a luta anti-capitalista. A Mostra está sendo organizada pelo Coletivo de Comunicadores Populares, grupo que surgiu em 2008, como resultado das discussões da 1ª. Mostra Luta!
Para este ano, foram recebidos filmes de norte a sul do país, entre longas, médias e curtas-metragens, de ficção e documentário. Serão 40 vídeos exibidos, entre inscritos e convidados, e o lançamento da mostra será feito com o longa-metragem “Linha de montagem”, de Renato Tapajós, seguida de debate com o diretor. Todos os vídeos inscritos, independente da seleção para exibição na mostra, serão incorporados ao acervo do MIS e do Coletivo de Comunicadores Populares, para mostras itinerantes, exibições públicas ou projetos sem fins lucrativos.
Além das exibições, sempre seguidas de debates, a programação da mostra inclui uma exposição fotográfica, com imagens de lutas sociais do Brasil e de outros países da América do Sul, que terá início na abertura da mostra e fica até 15 de dezembro. Além dos vídeos e fotografias, acontecerão mesas de debate sobre comunicação com entidades e movimentos convidados, como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), ENECOS (Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social), ABRAÇO (Associação Brasileira de Rádios Comunitárias), Flaskô, entre outros.
Mais do que exibir vídeos, a mostra surge com a proposta de ampliar o debate sobre as lutas por transformação social e da importância do audiovisual como instrumento de contra-informação ao monopólio comercial-midiático, este que sufoca as informações das lutas populares. Campinas é emblemática neste sentido: a cidade, com mais de 1 milhão de habitantes, possui apenas uma empresa que produz os três principais jornais da cidade. A Rede Anhanguera de Comunicação (RAC) concentra a produção de todos os meios impressos de grande circulação na região (Correio Popular, Diário do Povo, Notícias Já, Gazeta do Cambuí, Gazeta de Piracicaba, Gazeta de Ribeirão). Este quadro regional não foge à regra nacional, já que no Brasil seis famílias (Civita, Marinho, Frias, Saad, Abravanel e Sirotsky) produzem praticamente toda a informação que chega aos 184 milhões de habitantes, concentrando em suas mãos um poder gigantesco de manipulação, quase sem fiscalização.
Os latifúndios da comunicação, como são denominados, tratam as manifestações populares, em geral, como casos de polícia e, para garantir seus lucros e os de seus investidores, não hesitam em criminalizar as lutas dos movimentos sociais e distorcer a realidade vivida pelos trabalhadores. A Mostra surge, então, como importante espaço de organização destes que reivindicam o direito à expressão, por uma comunicação não subordinada aos interesses comerciais, e como mais um instrumento de luta dos trabalhadores e movimentos sociais.
2ª. Mostra Luta!
Veja a programação em www.mostraluta.org
21 a 28 de novembro de 2009
– Exposição de fotografias até 15 de dezembro –
Local: Museu da Imagem e do Som (MIS) de Campinas – Palácio dos Azulejos
Rua Regente Feijó, 859, Campinas – SP
Telefone: (19) 3236-7851
Serviço:
Sessão de abertura: Linha de montagem (90 min) – O movimento sindical de São Bernardo do Campo entre 1978 e 81, quando se produziram as maiores greves, desafiando a repressão do final da ditadura militar. Debate com a presença do diretor do filme, Renato Tapajós.
Sessão 1: 
Brad, uma noite a mais nas barricadas – (53 min)
Sementes da luta – (14 min)
A Ilusão viaja de Baú e a liberdade de bike – (11min)
Lágrimas de Ogum – (10 min)
O Processo – (8 min)
Sessão 2
Cacunda di Librina (31 min)
As Ruas da Cómedia (30 min)
A Casa dos Mortos (24 min)
51° CONUNE 2009 (10 min)
Sessão 3:
Estudo de Cena: o Capital e a Religião – (34 min)
Cerrado de Milhares Maravilhas – (30 min)
Maria do Paraguaçu – (26 min)
Paris a neve e o sal – (7,5min)
Sessão 4:
Expedito em busca de outros nortes (75 min)
A Luta Continua (12 min)
Maria sem graça (7 min)
Grito dos excluídos 2008 no RJ (3 min)
 
Sessão 5
Cinema de Quebrada (47 min)
Narrativas da Sé (20 min)
Solidariedade campo-cidade (12 min)
O Caminho da Música (12 min)
Sessão 6:
Porque lutamos! Resistência à ditadura militar (55 min)
Mulheres e o Mundo do Trabalho (26 min)
Manifesto contra as monoculturas e o deserto verde (6 min)
Primeiro de maio no RJ (3 min)
Favela Sinistra (3 min)
Sessão 7:
Nova Orleans, mardi gras e o furacão Katrina (5,4 min)
Tempo de Pedra (51 min)
Se me deixam sonhar… (curta metragem convidado – 40 min)
O Punk Morreu? (18 min)
 
Sessão 8:
25 anos do MST (58min)
Periferia Ação (33 min)

Sessão 9:
Zé Pureza (97 min)
Sessão dos convidados:
Caso Shell: O lucro acima da vida (~ 28 min)
1 de Maio – Campinas (5 min)
Última Fronteira (30 min)
Vídeo do Coletivo Anti-Racismo do Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região (35 min)
Acampamento Zumbi dos Palmares (MTST) (11 min)
Ato de luta das mulheres feministas (10 min)
Mesa de Abertura:
“O vídeo popular no Brasil”
Prof. Luiz Fernando Santoro (USP).
Debate:
“Panorama Fotografia e Cinema de Luta”
Debatedores: Orestes Toledo e João Zinclar.

Mesa redonda:
“Criminalizacao dos Movimentos Sociais pela Mídia e a construção de Mídias populares”
Entidades convidadas: MST, MTST, TVCOT, Flaskô e Identidade.
Mesa Redonda:
“A Luta pela Comunicação no Brasil”
Entidades convidadas: Intervozes, Enecos, Rádio MUDA e Abraço.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile